5 informações que todo mundo deveria saber sobre TOC

Popularmente conhecido como TOC, o transtorno obsessivo compulsivo consiste em uma alteração psíquica do indivíduo, que o faz ter obsessão por determinado rito e/ou cuidado (como lavar as mãos, por exemplo).

Existem diversas causas, consequências, formas de tratamento, e muito mais informações acerca da doença, que você conhecerá a seguir!

  1. Pode ser ocasionado por diversos fatores

Não se pode atribuir uma única causa a esta desordem, porém entende-se que ela pode ser multifatorial, sofrendo influências de:

  • Doenças neurológicas: existem diversas síndromes e doenças que podem levar ao TOC, sendo o Parkinson um exemplo.
  • Medicamentos: alguns fármacos poderão trazer como efeito adverso a obsessão, pelo fato de interferirem no funcionamento do sistema nervoso central.
  • Genética: a presença de casos na família pode elevar em até 400% a chance de desenvolver o transtorno.
  • Cultura: o incentivo à hábitos e estabelecimento de uma rotina podem interferir no aparecimento da doença.
  1. Pode ser classificado em 2 formas

Basicamente, existem duas classificações para o TOC:

  • Subclínica: é uma forma em que os sintomas aparecem frequentemente, porém ainda não interferem no bem-estar nem nas atividades diárias de vida.
  • Transtorno propriamente dito: é um estado crônico, em que a obsessão se faz presente em todos os momentos da vida do indivíduo, podendo inclusive, atrapalhar seu cotidiano.
  1. Existem diversas formas de manifestação

A obsessão pode aparecer em diversas atividades e momentos, estando relacionados com os hábitos e rotina do paciente. Dentre as manifestações, pode-se ter:

  • Necessidade de simetria e organização excessiva;
  • Neurose por limpeza, podendo ser dentro de casa, ou ainda com o corpo;
  • Medo de contrair doenças por microorganismos;
  • Necessidade de voltar para casa para certificar-se que portas e janelas estão fechadas;
  • Impulso e desejo sexual intenso;
  • Estabelecimento de ordens e rituais para a realização de tarefas simples;
  • Repetição de movimentos involuntários com o corpo – como piscar um olho, por exemplo: também chamados de tics.
  1. Os sintomas tendem a piorar

Muitas vezes, o próprio indivíduo não se dá conta da presença do transtorno, e acaba que um amigo ou familiar queixa-se das manias e obsessões.

Portanto, na identificação de qualquer sintoma, é essencial que um profissional seja procurado, de modo a evitar que os sintomas piorem.

Se não tratados, poderão surgir novas manifestações da doença, comprometendo a integridade psicológica do indivíduo.

  1. Existem diversas formas de tratamento

Basicamente, o tratamento poderá ser feito de duas formas:

Remédios

Os medicamentos de escolha costumam ser os inibidores da recaptação de serotonina, visto que esta é uma substância presente no cérebro, envolvida no controle de diversas funções.

A compra do medicamento é feita sob retenção de receita, portanto, será necessário acompanhamento médico durante o tratamento, para eventuais ajustes de doses e suspensão da medicação.

Psicoterapia

A melhor forma de solucionar os problemas, é organizando seus pensamentos. E para isso, nada melhor que contar com um profissional especializado, através das terapias.

Elas interferem não apenas no comportamento do TOC, como também na tentativa de aliviar outras questões mascaradas pela doença – como estresse, ansiedade, depressão, e muito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This